Cerveja para hidratar: Sim, não, talvez?

02.08.2021

No período de Verão verifica-se um aumento de temperatura ambiente que associado à diminuição da humidade do ar, provoca um aumento das necessidades hídricas nesta altura do ano. O aumento da temperatura ambiente provoca uma subida da temperatura interna do organismo que este tenta atenuar através do aumento da taxa de sudação. Por outro lado, a diminuição da humidade do ar exige que o corpo gaste mais água durante os processos respiratórios.

O que é certo, é que nesta altura do ano, o corpo exige uma maior ingestão de alimentos e bebidas com elevado teor em água para fazer uma reposição de líquidos adequada.

 

Alimentos como o leite, iogurtes, fruta e hortícolas apresentam um teor de água na sua composição superior a 80% e por isso devem estar presentes na nossa alimentação. No entanto, em certas ocasiões sociais, a reposição de líquidos não é feita através dos alimentos anteriormente mencionados, e a procura por algo mais prazeroso e condizente com a situação em questão, leva a que a escolha recaia em bebidas que muitas vezes podem comprometer o nosso objetivo (se consumidas em excesso claro!).

 

A cerveja é a terceira bebida mais popular do mundo (depois de água e café) e provavelmente também a mais apreciada. Foi das primeiras bebidas a ser inventada e reformulada, uma vez que a Lei Seca dos Estados Unidos da América proibiu o consumo de álcool entre 1920 e 1933, levando à descoberta de uma versão sem álcool e com sabor semelhante à cerveja convencional.

Mas será que a cerveja poderá ser utilizada para a reposição de líquidos?

 

A ingestão exagerada de bebidas alcoólicas compromete qualquer objetivo, desde a perda de peso até ao aumento de massa muscular, passando também pela recuperação pós exercício. Sabia que o álcool tem 7Kcal por grama? São mais 3 kcal por grama que os hidratos de carbono e proteínas, portanto podemos afirmar que as bebidas alcoólicas têm um aporte energético acrescido e a cerveja é um exemplo disso. No entanto, se optarmos pela versão sem álcool conseguimos diminuir as calorias ingeridas para cerca de metade (c/ álcool à 40kcal/100mL / s/álcool à 20Kcal/100mL).

 

Do ponto de vista nutricional, a cerveja tem algumas propriedades interessantes visto ser produzida através da fermentação de cereais e conter na sua composição vitaminas do complexo B e minerais como o sódio que perdemos durante a transpiração. É também composta por cerca de 90% de água e por isso também pode funcionar como um repositor hídrico.

Resumindo…

 

A cerveja é uma bebida que grande parte da população aprecia, por isso é natural que, se gostar, beba de vez em quando. Agora que conhece um pouco da composição e benefícios da cerveja sem álcool a sua escolha deve recair sobre esta opção; no entanto, se não abdicar da versão tradicional, deve falar com o seu nutricionista Playlife de forma a que consiga inserir essa bebida na sua dieta sem comprometer o objetivo proposto.

No que toca a reposição hídrica pós-exercício, a cerveja não deve ser opção, uma vez que a ingestão de álcool imediatamente após o treino compromete a reposição das reservas de glicogénio, fazendo com que a recuperação muscular seja mais lenta. Por último, relembro que a sua bebida de eleição deve ser sempre a água pois não tem calorias e é a melhor fonte de hidratação que existe.

 

Domingos Soares, C.P. 3082N