Como seguir uma alimentação sustentável?

31.03.2022

Pensando na alimentação de forma sustentável, ou seja, que permita responder às necessidades do presente, sem que isso comprometa o que estiver disponível para as gerações futuras, deixo-lhe aqui umas dicas para que possa ajudar o planeta.

Lembre-se sempre de, aquando da altura das compras: opte por alimentos locais, frescos, da época e provenientes do comércio local; transporte as compras em sacos reutilizáveis (ex. sacos de pano). No caso de produtos congelados, o ideal será transportá-los em malas térmicas. Verifique sempre o prazo de validade e prefira, se possível, os produtos alimentares com uma data de validade mais prolongada. Pode também optar pelos produtos com prazo de validade perto do fim (estão identificados com uma etiqueta normalmente cor de rosa), evitando assim que sejam desperdiçados.

Depois de abertas, opte por selar as embalagens com molas, evitando a perda do produto; verifique periodicamente as condições dos alimentos presentes na despensa, frigorífico e arca frigorífica, devendo guardar os alimentos em caixas de vidro herméticas em substituição da película aderente ou da folha de alumínio. Minimize o embalamento (p.e. pão embalado, talheres, bases de tabuleiro) e não se esqueça da reciclagem organizando o caixote do lixo em compartimentos, de acordo com o ecoponto.

No momento da confeção, ao descongelar deve fazê-lo na quantidade necessária de alimentos pois, uma vez descongelado, o produto não poderá voltar a ser congelado. Opte por métodos de confeção que requerem menor gasto energético (p. ex. grelhados, cozidos ao vapor); limite o uso do forno porque utiliza mais recursos energéticos. Ou então, uma vez que tem o forno ligado, aproveite a sua energia para mais do que uma confeção.

Evite ferver água na panela para cozinhar os alimentos, preferindo fervê-la previamente num jarro elétrico. Não se esqueça que, no final das refeições deve reaproveitar a água da cozedura dos alimentos para outras preparações culinárias ou regar as plantas. Após servir a refeição, diminua o desperdício no prato, recorrendo a utensílios adequados para servir as refeições (ex. colheres doseadoras). As folhas, as cascas, as sementes e os talos pode reutilizar em outras preparações culinárias (ex. sopas e purés). O que sobrar das suas refeições, pode sempre optar por inovar nos seus cozinhados e dar-lhes uma nova vida!

De forma resumida: aprecie a simplicidade nas preparações culinárias, privilegiando a prática de uma alimentação diária com base nos princípios da Dieta Mediterrânica; respeite a natureza e proteja os seus recursos. Alimentos com qualidade nutricional requerem o equilíbrio entre o Homem e a Terra.

E lembre-se: “Construir uma visão comum para a sustentabilidade alimentar e agricultura depende de cada um de nós.”

Rute Oliveira

Nutricionista

4764N