Vitamina D: Que vitamina é esta?

02.12.2020

Nos dias em que vivemos, é bastante importante que fiquemos em casa para nos protegermos, no entanto, o confinamento leva a que exista menor exposição solar e consequentemente deficiência em vitamina D. Esta vitamina tem ganho alguma “fama” entre a população devido a estudos publicados que correlacionam um baixo nível de vitamina D com maior gravidade de doenças respiratórias. O que é certo, é que a vitamina D e os seus metabolitos induzem a produção de peptídeos antimicrobianos contra vírus e bactérias e estimulam a resposta antimicrobiana inata.

A vitamina D tem várias funções e atua em várias áreas do nosso organismo:

  • É importante para o funcionamento dos sistemas imunitário e nervoso e do cérebro
  • Regula os níveis de insulina e ajuda à gestão da diabetes
  • Regula a quantidade de cálcio e de fosfato no nosso corpo, nutrientes necessários para manter os ossos, dentes e músculos saudáveis
  • Regula a expressão da renina, regulando a atividade do eixo Renina-angiotensina e, por isso, a pressão arterial.

Relativamente à população portuguesa, vários estudos demonstram que existe uma carência em Vitamina D. Aliás, os países do sul da Europa apesar de terem mais sol durante um ano, apresentam uma prevalência maior de carência de vitamina D relativamente aos países do norte da Europa. Tal facto pode estra relacionado com a maior suplementação que os países do norte da Europa fazem ou até mesmo com questões genéticas.

 

Como já foi referido, o nosso corpo produz vitamina D através da exposição solar. No entanto, ainda não se determinou o tempo de exposição necessário para suprir as necessidades do nosso corpo, pois existem fatores como a cor da pele ou a área exposta que podem influenciar a capacidade de produção desta vitamina. A exposição solar dentro de casa (à janela por exemplo) em nada ajuda o nosso corpo na síntese de Vitamina D, uma vez que os raios UVB não atravessam o vidro.

 

Caso a exposição solar não seja viável ou não recomendada, também é possível obter vitamina D através da ingestão de alguns alimentos tais como:

  • Peixes gordos (como salmão, sardinhas, arenque e cavala)
  • Carne vermelha
  • Fígado de vaca
  • Gema de ovo
  • Alimentos fortificados, como leite
  • Queijo
  • Cogumelos

Por último, podemos utilizar a suplementação para evitar carências desta vitamina, uma vez que é uma estratégia segura e económica onde a margem de segurança é muito grande (seria necessária uma quantidade exorbitante para provocar algum maleficio ao corpo).

De qualquer das formas, antes de tomar qualquer decisão, contacte o seu nutricionista Playlife para delinear a melhor estratégia para si!

 

Domingos Soares | Nutricionista 3082N